Idealizada por Dom Pedro II e fundada por Claude Henri Gorceix a Escola de Minas e Metalurgia da Universidade Federal de Ouro Preto foi pioneira em estudos geológicos, mineralógico e metalúrgico. Esta instituição norteou por muitos anos os preceitos seguidos pela Escola Técnica de Ouro Preto (1942) e pela Escola Técnica Federal de Ouro Preto (1959), hoje IFMG – Campus Ouro Preto, na formação de técnicos de nível médio, dentre eles o técnico em Metalurgia. 

As “Leis Orgânicas do Ensino” conhecidas como “Reforma Capanema” consistiram na institucionalização de um conjunto de decretos-lei sobre a educação brasileira. Deliberando sobre a educação profissional, o Decreto-Lei nº 4.073 de 30 de janeiro de 1942 estabeleceu as bases da organização e do regime do ensino industrial, destinado à preparação profissional dos trabalhadores da indústria e das atividades artesanais, além dos trabalhadores dos transportes, das comunicações e da pesca. (texto original).

Convergindo para a ampliação do ensino profissional, o Decreto-Lei nº 4.127 de 25 de fevereiro de 1942 dispôs sobre a implantação de escolas técnicas e as escolas industriais federais.

Nessa normativa, em seu artigo 7º, cria-se a Escola Técnica de Ouro Preto, anexa à Escola Nacional de Minas e Metalurgia da UFOP (Praça Tiradentes) com a finalidade de ministrar o curso técnico em Metalurgia.

Em 15 de maio de 1944 iniciou as atividades do curso técnico em Metalurgia na antiga Escola de Minas e Metalurgia da UFOP.

O processo seletivo ocorreu em abril de 1943, sendo que dos quarenta e seis candidatos, vinte e um foram selecionados. O processo seletivo buscou avaliar questões referentes a Língua Portuguesa, Matemática, Desenho e aptidão física.

Curso Técnico em Metalurgia noturno

A Portaria nº 15 de 13 de janeiro de 1982 institui a criação dos Cursos Técnicos de Mineração e de Metalurgia  noturnos na ETFOP.

Sessão Solene Comemorativa do 38º Aniversário da ETFOP com a participação dos Alunos dos Cursos Noturnos e do então Diretor Professor Ronaldo Rebert Bayão Toffolo “(1982) ( Crédito fotos: Laboratório de Memória Institucional e Pesquisa Histórica/ IFMG – Campus Ouro Preto)

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *